O Ministério Público no DIAP do Porto divulgou hoje ter apresentado acusação contra nove pessoas, suspeitas de rebentar e assaltar 22 caixas de multibanco no Norte do país.

Segundo informação veiculada hoje na página online da procuradoria-geral distrital do Porto, o Ministério Público deduziu quarta-feira acusação contra um grupo de nove arguidos ao qual é imputado um crime de associação criminosa, 22 crimes de furto qualificado (entre tentados e consumados), 22 crimes de explosão e 22 crimes de detenção de arma proibida.

«Os arguidos estão acusados de, entre si, terem formado e estruturado um grupo que tinha como único objetivo assaltar caixas multibanco mediante o rebentamento destas», refere o documento.

Os factos terão ocorrido entre os dias 13 de junho de 2011 e 07 de novembro de 2012 nas localidades de Póvoa de Varzim, Vila do Conde, Barcelos, Esposende, Guimarães, Viana do Castelo, Braga e Matosinhos.

Segundo o Ministério Público, os arguidos começavam por selecionar as caixas de multibanco que procuravam rebentar durante a madrugada.

O método passava por forçar a abertura do dispensador de notas por onde era introduzido gás e, com recurso a um engenho elétrico, provocar a sua explosão.

Os nove arguidos ter-se-ão, deste modo, apropriado indevidamente de 348.625 euros em nota, sendo-lhes ainda imputados estragos em mais de 311 mil euros, relativos às caixas multibanco e edifícios que as albergavam.

Sete dos arguidos aguardam julgamento em prisão preventiva.