A Polícia Judiciária (PJ) anunciou esta quinta-feira a detenção, nos Açores, de uma mulher de 42 anos suspeita da prática continuada de crimes de burla qualificada, no valor de 700 mil euros.

Em comunicado, o Departamento de Investigação Criminal de Ponta Delgada informa que a suspeita fazia crer aos lesados que “iria receber uma vultuosa indemnização por acidente de um familiar no estrangeiro”.

Ao longo de mais de um ano, a arguida levou os lesados “a entregarem-lhe somas que atingiram um valor superior a 700 mil euros, convencidos de que este dinheiro se destinava a custear as despesas do processo burocrático indemnizatório, de cunho internacional, na expectativa de virem a obter generosa compensação”.

No decurso da investigação e no âmbito da realização de buscas domiciliárias efetuadas no concelho de Vila Franca do Campo, foi possível detetar e apreender uma grande e variada quantidade de bens, em valor estimado em dezenas de milhares de euros, que se suspeita terem sido adquiridos com o produto da sua atividade ilícita”, acrescenta o comunicado da PJ.

Fonte da PJ explicou à Lusa que são três os lesados, um casal e uma mulher, com os quais a arguida “tinha proximidade relacional”.

Havia alguma confiança com os lesados que foi incrementada e aproveitada pela arguida, num crescendo de confiança, para colocar em prática o seu plano”, afirmou a mesma fonte, referindo que “as pessoas entregaram o seu dinheiro na expectativa de receberem uma recompensa financeira igualmente choruda”.

A fonte esclareceu ainda que “há uma grande e diversificada quantidade de bens apreendidos que são artigos de recheio de casa".

A arguida, sem ocupação laboral, foi presente a primeiro interrogatório judicial para a eventual aplicação de outras medidas de coação.