A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) anunciou hoje a apreensão, no aeroporto de Lisboa, de 120 quilogramas de meixão, espécie protegida cuja exportação é proibida para fora do espaço comunitário.

Em comunicado, a ASAE adianta que a apreensão, feita em conjunto com a Autoridade Tributária e Aduaneira, foi a maior deste ano e os 120 quilogramas de “enguias bebés ou enguias de vidro”, conhecidas por meixão, tinham como destino a Tailândia.

Segundo a ASAE, o meixão é uma espécie protegida que carece de um certificado de acompanhamento CITES (Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies da Fauna e da Flora Selvagem Ameaçadas de Extinção), cuja exportação é proibida para fora do espaço comunitário.

Aquele órgão de polícia criminal sublinha que esta espécie de enguias possui um valor de mercado entre os 500 e os 1000 euros por quilograma.

Na altura da apreensão, a carga estava “devidamente acondicionada e dissimulada juntamente com 40 quilogramas de camarão bebé, tendo a totalidade das espécies sido restituída ao meio natural com a colaboração da Polícia Marítima de Lisboa".

A ASAE indica ainda que a investigação prossegue a cargo da Unidade Nacional de Informações e Investigação Criminal que instaurou um inquérito crime por danos contra a natureza, falsificação de documentos e contrabando.