Notícia atualizada às 10:58

As buscas para encontrar os dois homens que desapareceram este sábado quando apanhavam amêijoa no rio Tejo, no concelho do Barreiro, foram retomadas na manhã desta segunda-feira e a área de atuação vai ser alargada atá Alhandra, Vila Franca de Xira. 

«Vamos alargar a área de buscas devido ao efeito da corrente atè Alhandra. Agora a área de buscas é maior e, por isso, vamos juntar uma terceira embarcação semirrígida», disse à agência Lusa o comandante Cruz Gomes.

O responsável adiantou que a área de atuação vai ser agora entre a Trafaria, distrito de Setúbal, e Alhandra, no concelho de Vila Franca de Xira, distrito de Lisboa.

«As buscas vão ser desde a Trafaria até Alhandra, mas também pelo canal de Coina e Montijo, distrito Setúbal, que são áreas previsíveis onde podem aparecer os corpos», explicou.


O comandante Cruz Gomes disse que as buscas foram retomadas esta manhã por volta das 08:00 entre a zona do Barreiro e do Seixal, tendo sido mobilizadas duas embarcações semirrígidas, mas já sem o helicóptero da Força Aérea Portuguesa.

«Ao fim de dois dias é mais difícil encontrar os corpos. Se eles ficaram no rio a tendência dos corpos é afundar. Ao fim de um dia e, pela nossa experiência, três, quatro ou cinco dias depois os corpos ganham flutuabilidade e aparecem», disse.


No local estão três lanchas semirrígidas com elementos da Polícia Marítima, encontrando-se de prevenção a proteção civil e a Força Aérea Portuguesa em caso de necessidade.

O alerta do desaparecimento de três homens com idades compreendidas entre os 47 e os 53 anos que apanhavam amêijoa no rio Tejo, no concelho do Barreiro, distrito de Setúbal, foi dado pelas 12:30 de sábado.

Eram 17:30 quando foi encontrado um corpo na Ponta dos Corvos, no concelho do Seixal, tendo as buscas sido interrompidas por volta das 19:30 de sábado e retomadas domingo de manhã.

Nas buscas esteve envolvido, além de meios e elementos da Polícia Marítima, um helicóptero da Força Aérea portuguesa.