O cardeal-patriarca de Lisboa Manuel Clemente congratulou-se pela nomeação esta quinta-feira de António Guterres para o cargo de secretário-geral das Nações Unidas, para o qual já demostrou qualidades, noutras missões.

A qualidade de António Guterres está mais do que demonstrada nas diversas missões que desempenhou, quer em Portugal, quer no estrangeiro, concretamente com os refugiados que é o problema mor da atualidade internacional, e que ficará em boas mãos”, afirmou Manuel Clemente, numa mensagem enviada à Lusa.

O cardeal-patriarca realçou o papel das Nações Unidas na atualidade internacional, pois “há muitas e muitas questões que só podem ser resolvidas nas plataformas internacionais, como a Organização das Nações Unidas (ONU) o é muito especialmente”.

Manuel Clemente afirmou-se “muito esperançoso e contente” no desempenho do cargo de secretário-geral das Nações Unidas por António Guterres, pela sua “qualidade, a sua experiência e eficácia na resolução destas questões, e o relevo que a ONU tem”.

Como crentes pedimos a Deus aquilo que Deus está mais do que disponível para lhe oferecer, que é toda a inspiração no desempenho do cargo”, afirmou o prelado, que manifestou também a satisfação de ver um compatriota com funções de “tanto relevo a nível internacional”.

O cardeal-patriarca desejou a Guterres, que é católico, “as maiores felicidades” no desempenho do cargo de secretário-geral das Nações Unidas para o qual foi hoje designado pelo Conselho de Segurança por unanimidade e aclamação.

O Conselho de Segurança da ONU escolheu hoje por unanimidade e aclamação o antigo primeiro-ministro português António Guterres como secretário-geral da organização.

A escolha do Conselho de Segurança, o principal órgão decisório das Nações Unidas, deverá agora ser ratificada pela assembleia-geral da organização.