Os Bombeiros de Miranda do Douro angariaram no espaço de um mês 10 mil euros que vão reverter para a reposição de uma viatura consumida pelas chamas e que provocou a morte de dois soldados da paz.

Os Bombeiros de Miranda do Douro promoveram hoje uma marcha que saiu do quartel dos bombeiros de Miranda com cerca de uma centena de participantes em direção ao santuário de Nossa do Naso, um dos locais mais emblemáticos do ponto de vista religioso da região planalto mirandês, onde foi prestada homenagem aos dois bombeiros que morreram na sequência dos ferimentos sofridos no combate às chamas num incêndio em Cicouro no 01 agosto.

«Esta marcha não serve apenas para angariar fundos para a aquisição de uma viatura, mas também unir a população em torno da causa dos bombeiros voluntários», disse hoje o comandante dos bombeiros de Miranda do Douro, Luís Martins, à lusa.

O acidente ocorreu num incêndio que deflagrou no dia 1 de agosto na região fronteiriça de Cicouro (Miranda do Douro) e acabaria por vitimar dois bombeiros que não resistiram aos ferimentos provocados pelas chamas.

O valor da viatura ronda os 50 mil euros e foi comprada «em segunda mão», já que a corporação dos bombeiros de Miranda do Douro diz não ter dinheiro para aquisição de uma viatura nova.

«O novo veículo de combate a incêndios só será entregue em dezembro para que haja tempo para juntar o montante necessário para pagar», disse.

«A viatura tem de ser substituída já que o seguro não cobre a sua reposição», acrescentou o comandante da corporação, Luís Martins, sublinhando que os custos rondam os 150 a 160 mil euros e que a Autoridade Nacional de Proteção Civil só cobre 25% desse valor.

Os bombeiros atingidos foram António Ferreira, de 45 anos, que viria a falecer três depois do incêndio, e Daniel Falcão, de 25 anos, que viria a falecer um mês depois de ter ficado ferido. Um outro bombeiro da mesma corporação ficou com ferimentos «graves» e ainda se encontra em fase de recuperação.

Quem participou na marcha disse à Lusa que é preciso ajudar os bombeiros de Miranda Douro a ultrapassar este «mau momento» da sua história.

«Estava também a ajudar no combate às chamas no incêndio de Cicouro. Era muito próxima do Daniel, um dos bombeiros falecidos, já que era meu amigo de infância», frisou Catarina Miguel, uma jovem bombeira de 25 anos que participou na marcha.

Por outro lado, o presidente da Câmara de Miranda do Douro, Artur Nunes, que também se associou à iniciativa, acrescentou que o concelho ainda está viver «o drama» que se abateu sobre os bombeiros e que a população se tem mostrado «solidária».

Esta jornada solidária termina logo à noite com um concerto de José Cid que vai decorrer no largo do Castelo e cuja receita da bilheteira reverterá a favor dos bombeiros de Miranda.