A ideia de alimentação saudável está cheia de mitos que apelam ao aumento do consumo e do desperdício alimentar, alegando a falta de qualidade das refeições e alimentos (des)congelados. Agora um estudo britânico alerta para os erros cometidos quotidianamente em prol da saúde.

No Reino Unido, as famílias desperdiçam o equivalente a seis boas refeições por semana por estarem ou terem sido congeladas. Se a análise destes dados for anual, o número do desperdício dispara para 4,2 milhões de toneladas de alimentos deitados fora, de acordo com o Programa Wast and Resources Action (Wrap), citado pelo Telegraph.

Em Portugal não será muito diferente. Quantas pessoas não gostam de congelar o resto do almoço ou do jantar porque depois a comida não sabe bem ou perde qualidade?

O estudo britânico revela novas conclusões sobre os maus hábitos e mitos por detrás do processo de congelamento dos alimentos.

De acordo com o programa de desperdício alimentar britânico, é seguro voltar a congelar carne ou peixe depois de confecionado, mesmo que antes já tenha estado no congelador. Análises provam que não existe qualquer perigo para a saúde pública nem risco de intoxicação.

O congelador serve como botão de pausa na conservação das características nutricionais dos alimentos”, disse Steve Wearne da Agência Food Standards.

Contudo, o responsável sublinha que deve estar atento às instruções sobre o processo de congelamento e às datas de validade indicadas na embalagem.

Quando a comida é congelada a qualidade vai deteriorando-se no tempo a partir do terceiro mês, por isso recomendamos que coma os alimentos entre três a seis meses”, sublinhou.

O responsável alerta ainda que os alimentos devem ser consumidos nas 24 horas seguintes a estarem completamente descongelados. Na tabela abaixo resumimos alguns dos mitos quebrados pelo estudo britânico.

Mito

Facto

Não se pode congelar todo o tipo de alimento

Pode congelar a maioria dos alimentos, incluindo fruta, legumes, leite, carne cozida, pão ou até mesmo queijo (com exceção para o amanteigado porque irá perder a textura)
Os alimentos devem ser cozinhados no dia em que se compram

Pode comprar, congelar e utilizar somente quando quiser, dentro de um prazo máximo de seis meses ou seguindo as instruções de validade e conservação presentes na embalagem

Não se pode voltar a congelar a comida

Claro que pode. A partir dos três meses a qualidade dos alimentos começa a deteriorar-se, mas se ficarem mais de seis meses congelados não é caso para entrar em pânico. Deve confeciona-los mais devagar e acrescentar mais condimentos para avivar o sabor

O congelador queima os alimentos e por isso não devem ser inseridos

O aspeto requeimado na comida está relacionado com as moléculas de água dos alimentos, e por isso não representa perigo para a saúde. No entanto, pode sempre cortar as partes mais secas e cozinhar o restante
Fonte: The Telegraph