Os seis arguidos no processo de rapto e homicídio, em novembro de 2013, de uma uma mulher de 78 anos, bancária reformada, vão a julgamento, comunicou esta quinta-feira a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa.

Os arguidos Edilmar, Victor, Jefferson, Misael e Denivam - todos em prisão preventiva - e Mycon foram acusados de roubo, rapto e homicídio qualificados, extorsão qualificada, profanação de cadáver, burla informática qualificada e condução sem habilitação legal.

A idosa, Albertina Alves, foi raptada em Algés e assassinada no Seixal, em novembro de 2013, pelo seu mecânico brasileiro e por três cúmplices, igualmente naturais do Brasil.

Viúva, Albertina Alves vivia sozinha em Algés e tinha o carro a reparar na oficina do mecânico brasileiro, Edilmar.

No dia em que ficou prevista a entrega do carro, a bancária reformada foi raptada e colocada na bagageira do próprio carro por Edilmar e três cúmplices, com idades entre os 21 e os 43 anos.

Depois de furtarem as chaves de casa da mulher, furtaram objetos de valor e cartões bancários.

No carro da vítima, que permaneceu na mala, viajaram até ao Jamor, onde a torturaram para que ela revelasse os códigos dos cartões bancários, com os quais levantaram 400 euros.

Em Foros de Amora, no Seixal, estrangularam-na até à morte.