Pedro Dias assumiu esta quinta-feira o homicídio do militar Carlos Caetano, mas garante que só disparou sobre os GNR porque estava a ser agredido. Mais tarde, acusou o militar António Ferreira de ter matado o casal na estrada.

O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira falou esta manhã em tribunal.

Pedro Dias relata que baleou o militar Carlos Caetano com a arma que trazia na carrinha porque estava a ser agredido "com murros e pontapés" e garante que o objetivo não era matar, mas apenas acabar com a agressão.

Segundo o suspeito, o outro militar, António Ferreira, dizia para ao colega para parar de o agredir.

Pedro Dias diz que se sentiu com medo e desnorteado e que foi por isso que mandou o militar da GNR que sobreviveu desapertar o cinto onde tinha a arma e entrar no carro patrulha. "Só queria sair dali", disse.

O arguido garantiu ainda que foi António Ferreira a matar o casal Luís e Liliane Pinto na estrada.

Depois, afirmou que baleou este militar porque se sentiu novamente ameaçado.