O supervisor do agrupamento de empresas papeleiras Afocelca, que sofreu ferimentos graves, no sábado, quando foi apanhado num incêndio em São Pedro do Sul, distrito de Viseu, continua com prognóstico reservado.

Fonte do Centro Hospitalar Universitário de Coimbra (CHUC) disse à agência Lusa que a vítima está “estável” e com “prognóstico reservado”.

O técnico da Afocelca, que está internado na Unidade de Queimados do CHUC, sofreu queimaduras em cerca de 57% do corpo, adiantou o gabinete de comunicação do estabelecimento hospitalar.

O supervisor da Afocelca sofreu os ferimentos quando seguia na sua viatura e um contingente de operacionais da empresa combatia as chamas que lavravam, no sábado, com forte intensidade, na Serra da Arada, no município de São Pedro do Sul, atingindo diversas casas e ameaçando algumas povoações.

O ferido foi transportado de helicóptero para o Hospital de São Teotónio, em Viseu, e ainda, nesse dia, transferido para Coimbra.

A Afocelca é um agrupamento complementar de empresas de produção de pasta de celulose e de papel, com uma “estrutura profissional” que “tem por missão apoiar o combate aos incêndios florestais, nas propriedades das companhias agrupadas, em estreita coordenação e colaboração com a Autoridade Nacional de Proteção Civil - ANPC", de acordo com a sua página, na internet.