Um total de 275 jovens estavam internados nos centros educativos em agosto, um aumento de 5,3 por cento desde o início do ano, segundo a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP).

A síntese de dados estatísticos relativos aos centros educativos indica também que o número de jovens internados desceu este ano, pela primeira vez, em agosto, apesar do aumento em relação a 31 de dezembro de 2012.

A DGRSP adianta que o número de jovens internados em agosto diminuiu 3,8 por cento relativamente ao mês anterior.

Segundo as estatísticas, o número total de jovens internados em centros educativos era de 275 em agosto, dos quais nove estavam «em ausência não autorizada».

A maioria dos jovens internados (65 por cento) cometeu crimes contra o património, destacando-se os 108 por roubos e 36 por furtos.

A DGRSP adianta que quase um terço dos jovens praticou crimes contra pessoas, estando 28 internados por ofensa à integridade física, nove por terem abusado sexualmente de crianças e adolescentes e outros nove por violação.

Dos 275 jovens internados em agosto, 25 eram raparigas e 250 eram rapazes, tendo a maioria entre 16 e 18 anos.

O regime semiaberto continua a ser o predominante, representando 68 por cento dos casos, estando em regime fechado 15 por cento dos jovens.

A síntese da DGRSP indica também que 94 por cento dos jovens encontrava-se, em agosto, em cumprimento de medida tutelar de internamento e seis por cento com medida cautelar de guarda, que pressupõe perigo de fuga ou a prática de outros crimes.

O documento refere ainda que 47 por cento dos jovens que se encontravam internados em centros educativos tinham processos no Tribunal de Família de Menores de Lisboa e na Comarca da Grande Lisboa Noroeste (Sintra).