Um homem morreu hoje carbonizado na encosta da Lagoa do Fogo, na ilha de São Miguel, num local onde estava a ser realizada uma queimada «controlada» e «autorizada», segundo a Proteção Civil dos Açores.

Carlos Enes, do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores, disse à Lusa que o homem era funcionário de uma empresa que estava a fazer uma queimada em terrenos rurais, de forma controlada e com a respetiva autorização.

Os bombeiros desconhecem as circunstâncias e as causas da morte do homem, que foi encontrado carbonizado depois de os colegas de trabalho terem dado pela sua falta.

A mesma fonte sublinhou, pouco depois das 15:00 locais (16:00 em Lisboa) que o fogo ainda não foi extinto, já que «pequenos focos» da queimada se propagaram, e que se trata de um «incêndio rural», já que por causa dos níveis altos de humidade, não há incêndios florestais nos Açores.

Estão no terreno seis viaturas e 21 homens, disse.