Seis pessoas morreram e 14 ficaram gravemente feridas em 566 acidentes, segundo o balanço provisório da Operação Páscoa nas estradas portuguesas, que decorre entre as 00:00 horas do dia 02 e as 24:00 do dia 05 de abril.

A Guarda Nacional Republicana (GNR) indicou que, até às 17:00 de domingo, se registaram menos 60 acidentes do que no mesmo período do ano passado, menos sete feridos graves e menos 23 feridos ligeiros, mas há a lamentar mais três mortes.

Durante a Operação Páscoa, 4.500 militares dos comandos territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito estarão particularmente atentos à falta de habilitação legal para conduzir, à condução sob o efeito de álcool e de substâncias psicotrópicas, à não utilização do cinto de segurança e de sistemas de retenção para crianças, refere um comunicado daquela força militarizada.

O excesso de velocidade e o não cumprimento das regras de trânsito serão também alvo de especial atenção por parte da GNR.

Devido ao aumento significativo de trânsito na época pascal, a GNR aconselha os condutores a reduzirem substancialmente a velocidade na travessia de localidades e uma especial atenção para com os peões.

Alerta ainda para a necessidade de os condutores terem atenção ao aumento de ciclistas nas estradas portuguesas e para a necessidade de uso dos cintos traseiros das viaturas, já que se regista num aumento de vítimas entre os passageiros do banco de trás devido à não utilização de cinto.