O Governo português expressou as suas condolências à Turquia pelo acidente «terrível» que ocorreu na terça-feira numa mina de carvão, causando pelo menos 238 mortos, anunciou esta quarta-feira fonte oficial do ministério dos Negócios Estrangeiros.

Em declarações à Lusa, a mesma fonte referiu que o ministro Rui Machete enviou uma carta de condolências ao seu homólogo turco, Ahmet Davutoğlu.

Na carta, o governante exprimiu «grande tristeza» pelo «acidente terrível que ocorreu na mina de carvão».

«Neste momento de pesar, o Governo português deseja expressar as suas mais sentidas condolências às autoridades turcas pela perda trágica de vidas humanas», transmitindo ainda às famílias das vítimas e ao povo turco a sua mais profunda solidariedade¿.

O balanço da explosão na mina de carvão eleva-se a 238 mortos, anunciou hoje o primeiro-ministro, Recep Tayyip Erdogan, que referiu ainda que cerca de 120 mineiros permanecem presos.

Mais de 360 mineiros foram retirados com vida da mina, onde ocorreu uma explosão que provocou um incêndio.

«As nossas esperanças [de encontrar sobreviventes] diminuem cada vez mais», disse.

O governo turco decretou três dias de luto nacional, a partir de terça-feira, dia do acidente, um dos piores desastres industriais no país.

As explosões em minas são frequentes na Turquia, em particular nas do setor privado, onde as medidas de segurança não são frequentemente aplicadas.

O acidente mais grave ocorreu em 1992, quando 263 mineiros morreram numa explosão de gás na mina de Zonguldak (norte), zona da maior bacia mineira de carvão na Turquia.