O acidente que esta noite vitimou 12 portugueses na estrada nacional 79, perto de Lyon, ocorreu num local onde há muitos acidentes, disseram à Lusa o cônsul honorário de Clermont-Ferrand e um dirigente associativo local.

"Esta estrada aqui tem muitos acidentes, sim", afirmou Isidoro Fartaria, que está no local do acidente, onde também é esperada a cônsul-geral de Portugal em Lyon, Maria de Fátima Mendes.

Visivelmente emocionado, Isidoro Fartaria foi parco em palavras, confirmando apenas que "há 12 pessoas mortas, duas garotas e são famílias".

Luís Babiano, presidente da associação Dompierre Portugal, sublinhou à Lusa que "é uma estrada onde há muitos, muitos acidentes" e que até evita passar por lá porque há "muitos camiões" e prefere "passar por aldeias pequenas".

"A estrada só tem uma via. Uma pessoa fecha os olhos e está logo na via da esquerda e foi o que aconteceu neste acidente. É um problema do Estado, não há dinheiro para fazer duas vias. Há mesmo um grupo no Facebook que luta para ter duas vias para não acontecer o que aconteceu", declarou o dirigente associativo local.

 

 

Evidemment une pensée forte vers les victimes et leurs familles... RIP

Publicado por RCEA : 4 voies pour arrêter le massacre em Sexta-feira, 25 de Março de 2016

 

 

 

O grupo criado no Facebook chama-se "RCEA:4 voies pour arrêter le massacre" ("quatro faixas para parar o massacre") e denuncia na sua página que esta estrada "é um cemitério de duas faixas na [região] Saone et Loire e em Allier" , acrescentando que "há demasiado tempo que os acidentes e os mortos se acumulam, que as famílias choram e que os sobreviventes não dormem" e reivindicando "um avanço rápido de obras" no local.

Luís Babiano apanhou um grande susto esta manhã porque pensou que fossem os tios que tivessem tido o acidente.

"De manhã apanhei um susto. Eu tenho família que também foi para Portugal passar a Páscoa em Trás-os-Montes e tive medo que fossem eles. Os meus tios passaram lá depois do acidente mas a estrada foi cortada e tiveram que dar meia volta e ir por outro caminho. Eu tenho medo de ir por essa estrada", admitiu.

Os doze portugueses morreram na sequência de um choque frontal entre a carrinha em que seguiam e um veículo pesado, onde estavam dois condutores italianos que sobreviveram. A carrinha desviou-se para a faixa contrária e colidiu de frente com o camião.

O veículo em que seguiam os portugueses saiu da Suíça por volta das 21:00 de quinta-feira e teria como destino Portugal. O acidente ocorreu por volta das 23:45 na estrada nacional 79, perto de Lyon, na localidade de Moulins, no departamento de Allier, no centro de França.