Arranca esta quinta-feira, feriado, a 86.ª Feira do Livro de Lisboa, no Parque Eduardo VII. Abre portas às 11:00, com a inauguração oficial a ser efetuada pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, pelas 15:00. Este ano há várias novidades. Listamos as principais, bem como as iniciativas que regressam.

Número recorde de pavilhões - 277
10 novos participantes, entre os 123 inscritos

Aplicação para smartphone "Feira do Livro de Lisboa", disponível para Android e iOS:

- mapa da feira

- pesquisa de autores

- títulos e disponibilidade por editor

- sessões de autógrafos

- apresentações de livros

- livros do dia

Regresso do pavilhão do Brasil, seis anos depois
Visita de editores estrangeiros, numa iniciativa do Ministério dos Negócios Estrangeiros e da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP). A ideia é que os editores estrangeiros possam comprar em Lisboa os direitos dos livros de autores nacionais
Hora H: entre as 22:00 e as 23:00, a partir do dia 30 de maio, livros com mínimo de 50% de desconto, editados há mais de ano e meio. Aderiram, este ano, 80% dos participantes
“Acampar com histórias”: crianças entre os oito e os dez anos vão acampar durante uma noite na Estufa Fria. Inscrições “estão já esgotadas”, segundo disse à Lusa o diretor técnico, Pereira da Silva. Estão previstas oito noites com grupos de 20 crianças.

A cerimónia de inauguração acontece na entrada sul do parque, junto ao Marquês de Pombal, e conta ainda com a presença do secretário de Estado da Cultura, Miguel Honrado, e do presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, entre outras personalidades.

Também, antes da abertura oficial, às 12:00, realiza-se uma parada de mascotes das personagens favoritas dos leitores infantojuvenis, acompanhada por uma banda de mimos, que tocam música do filme “Dixieland”.

Quem quiser desfrutar de um belo passeio pelo parque, enquanto renova o stock de livros lá de casa, pode fazê-lo até ao dia 13 de junho.