O Ministério Público, coadjuvado pela Polícia de Segurança Pública (PSP), efetuou esta quinta-feira buscas em todo o país, no âmbito de uma megaoperação relacionada com empresas de seguranças da noite.

Um comunicado da Procuradoria Geral da República vem confirmar o que a TVI já tinha avançado: a PSP fez 15 detenções (13 em cumprimento de mandados de detenção fora de flagrante delito e 2 em flagrante delito). A TVI apurou que uma das empresas pertence a Antero Henrique, CEO do FC Porto, informação que também já foi confirmada pelo FC Porto

"A investigação está relacionada com atividades ilícitas no âmbito de empresa de segurança privada em estabelecimentos de diversão noturna, suscetíveis de integrar a prática de crimes de associação criminosa, de exercício ilícito da atividade de segurança privada, de detenção de arma proibida, de extorsão agravada, de coação, de ofensas à integridade física qualificada, e de favorecimento pessoal", esclarece a PGR em comunicado.


A operação dirigida pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), foi desencadeada após uma investigação do “Comando Metropolitano de Lisboa e o do Porto, através das suas Divisões de Investigação Criminal”.

O inquérito, revela a PSP, visava um grupo violento que operava numa considerável faixa do território nacional.

A operação que culminou nas diligências desta quinta-feira, começou ainda de madrugada “com apoio da Unidade Especial de Polícia e dos Comandos Distritais de Aveiro, Braga, Viseu e GNR”.

Autoridades efetuaram 50 buscas domiciliárias e não domiciliárias. Foram ainda apreendidas 40 armas, cerca de 121000 euros, 10 viaturas e várias munições de diversos calibres.

Da operação, resultou a detenção de Eduardo Santos Silva (mais conhecido como Edu). É um empresário da noite do Porto responsável pela SPDE, uma empresa que foi alvo de buscas por parte da PSP e que garante a segurança no estádio do Dragão, apurou a TVI
 
Edu foi detido pelo GOE (Grupo de Operações Especiais) da PSP por ser considerado um homem extremamente perigoso. No momento da detenção, feita em casa do suspeito, estava junto a ele um ex-agente da PSP, que foi também detido.
 
Em Lisboa, foram também detidas duas pessoas ligadas à segurança em casas de diversão noturna.  São dois seguranças privados que, em 2011, estiveram envolvidos num tiroteio.

Os detidos serão apresentados esta sexta-feira no TCIC para interrogatório e aplicação de medidas de coação.