“Eram 12 migrantes. Entraram num camião frigorífico tapados com cartão, na parte de cima da mercadoria de paletes de fruta. Tenho dificuldade em conceber como é que alguém consegue sobreviver a temperaturas de um grau [centígrado] durante tanto tempo, ao pé dos evaporadores de frio por cima da fruta. Imagino, por isso, que se tapam com cartão, é bastante complicado.”






“Existe condescendência nas primeiras [multas]. A partir daí, se o caso for reincidente, aplicam-se multas altíssimas.”


“O problema tem de ser resolvido. As coimas em território inglês são muito elevadas, na minha empresa já tive situações destas, estamos a falar de coimas de três mil euros por cada migrante a bordo de uma viatura.”




“A questão da migração na Europa é um problema que se está a alargar. Inglaterra é um destino de muitos migrantes e o policiamento e controlo à fronteira têm de ser reforçados”, vincou, lembrando que todos os portos com ligação a Inglaterra são propícios à entrada de migrantes, mas Calais é a ligação mais utilizada.