O cadáver de uma baleia-comum deu hoje à costa, na Praia de Mira, e foi removido pelos serviços da Proteção Civil Municipal, disse uma fonte do Centro de Reabilitação de Animais Marinhos (CRAM), que acompanhou os trabalhos.

O cetáceo "estava muito decomposto e sem mandíbulas", não sendo possível "qualquer tipo de conclusão" quanto às causas da morte, adiantou à agência Lusa a investigadora Andreia Pereira, que trabalha com o CRAM no âmbito do seu doutoramento pela Universidade de Aveiro.

Apesar do adiantado estado de composição da baleia, a equipa do CRAM, com sede em Aveiro, procedeu à "recolha de amostras básicas" do animal morto.

Removida pela Proteção Civil e serviços da Câmara Municipal de Mira, no distrito de Coimbra, na presença da Polícia Marítima, a carcaça media mais de sete metros de comprimento e pesava pelo menos duas toneladas.

O alerta para o aparecimento do cadáver da baleia-comum, no areal da Praia de Mira, foi dado por um popular às autoridades "por volta das 08:00", segundo Andreia Pereira.

A baleia-comum, com o nome científico "Balaenoptera physalus", é um animal carnívoro que pertence à família dos balenopterídeos e ordem dos cetáceos.

Na fase adulta, este mamífero marinho chega a pesar 48 toneladas e atingir 21 metros de comprimento.