Na madrugada deste sábado, durante os festejos do S.João em Braga, o lançamento de fogo de artifício provocou um incêndio que teve de ser apagado pelos Sapadores da cidade. O incidente ocorreu perto da uma hora da manhã, no Monte do Picoto, onde foi realizado o espetáculo pirotécnico, integrado nas Festas promovidas pela autarquia.

O momento foi registado em vídeo e divulgado nas redes sociais.

Não percebo que porcaria de organização é esta... Não sabem lançar foguetes em segurança!? Mais uma fogueirinha no Picoto...

Publicado por Gabriel Sá em  Sexta-feira, 23 de Junho de 2017

À TVI24, fonte dos Sapadores de Braga confirmou o incêndio provocado pelo lançamento do fogo de artifício. Segundo foi possível apurar, no local estavam em "modo preventivo" três viaturas dos Bombeiros Sapadores de Braga, com oito efetivos, que tomaram conta da ocorrência e extinguiram prontamente o fogo.

Restrições em curso

Depois dos incêndios que fustigaram Portugal na última semana, a portaria 195/2017, que antecipa o período crítico, inviabilizou o lançamento de balões de ar quente e de foguetes nas festas de S.João, tanto em Braga como no Porto ou noutras localidades que celebrem o santo popular.

Tal confirma-se no decreto-lei 124/2006, que diz que "durante o período crítico não é permitido o lançamento de balões com mecha acesa e de quaisquer tipos de foguetes".

Neste aspeto, a autarquia de Braga veio informar por sua parte, num comunicado, que "além de outras medidas especiais de prevenção contra incêndios florestais, está interdito o lançamento de foguetes (foguetes com cana) e de Balões de mecha acesa (tradicionais de Balões de S. João)".

Também o lançamento de fogo de artifício é proibido, quando não seja autorizado pela respetiva Câmara Municipal. Mas apenas, "em todos os espaços rurais", como refere o decreto-lei 124/2006.

Já o regulamento municipal de Licenciamento do Exercício da Atividade de Uso do Fogo da Câmara de Braga também só permite o lançamento de fogo de artifício mediante uma autorização da autarquia.

Carece de autorização prévia a utilização de fogo de artifício ou de outros artefactos pirotécnicos, durante o período crítico", refere o regulamento municipal.

Fonte da PSP de Braga admitiu à TVI24 que "o lançamento deveria estar autorizado", algo que o decreto-lei prevê, desde que solicitado "com pelo menos 15 dias de antecedência".

A TVI24 conseguiu entretanto confirmar que o lançamento do fogo de artifício estava integrado nas Festas de São João, promovidas pela Câmara Municipal de Braga.