O homem que desapareceu em Gouveia na sequência dos incêndios de outubro de 2017 foi identificado pelo Instituto Nacional de Medicina Legal (INML), informou o Ministério da Justiça, que eleva para 46 o número de vítimas mortais daqueles fogos.

O homem de 49 anos, que vivia na localidade de Folgosinho, concelho de Gouveia, distrito da Guarda, é a 46.ª vítima dos incêndios de 15 e 16 de outubro.

As ossadas da vítima tinham sido descobertas em dezembro. Em resposta à agência Lusa, fonte do gabinete do Ministério da Justiça referiu que o INML confirmou a identificação da vítima na semana passada, tendo informado a família do homem.

Segundo fonte da GNR da Guarda, o homem tinha sido visto pela última vez na noite do dia 15 de outubro de 2017 por uma patrulha, que lhe pediu para acompanhar os restantes habitantes que estavam a ser retirados da aldeia de Folgosinho.

"Ele desobedeceu, colocou-se em fuga e desapareceu. A patrulha saiu do local com os moradores e o homem nunca mais apareceu", relatou, na altura, a GNR da Guarda.

Até ao momento, estavam contabilizadas 45 vítimas mortais relacionadas com esses fogos de outubro.

Já o incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande em 17 de junho de 2017 causou 66 mortos e mais de 250 feridos.