O condutor da carrinha, de 19 anos, e o dono da viatura, tio do condutor, envolvida no acidente em Moulins, foram detidos para interrogatório, avança o jornal local La Montagne. A detenção foi confirmada pelo procurador da cidade de Moulins, Pierre Gagnoud.

O jovem, que ficou em estado de choque na noite do acidente que causou a morte a 12 portugueses, esteve internado na ala de psiquiatria do hospital em Yzeure até hoje.

Também o seu tio, proprietário da viatura, esteve internado após o acidente. Ambos foram detidos, esta terça-feira, para interrogatório.

Esta terça-feira, o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas afirmou que Portugal acionou a proteção consular para o condutor da carrinha. Também hoje, os corpos dos 12 portugueses foram trasladados para Portugal em sete carrinhas funerárias, cuja partida foi acompanhada por José Luís Carneiro.

O conselheiro das comunidades portuguesas na área de Lyon disse entretanto esperar que o interrogatório do condutor e do proprietário da carrinha seja esclarecedor.

As pessoas querem saber a verdade sobre o que aconteceu. É evidente que eles têm que responder judicialmente por aquilo que aconteceu”, disse Manuel Cardia Lima, considerando que a detenção do condutor e do proprietário da carrinha era esperada.

O conselheiro das comunidades portuguesas sublinhou que a comunidade emigrante está “chocada com o que aconteceu mas reservada e à espera do que vai dizer a polícia”.

Manuel Cardia Lima acrescentou que as autoridades portuguesas locais vão continuar a acompanhar o caso e que o Consulado-Geral de Portugal em Lyon poderá intervir “para dar apoio, se for preciso um intérprete”, destacando que “não pode intervir junto do processo”.

O presidente da Câmara de Montbeugny, a localidade onde se deu o acidente, explicou à Lusa que os dois portugueses “vão ser ouvidos e as suas versões confrontadas”.

A detenção para interrogatório não me surpreende, mas interrogatório não quer dizer que sejam condenados. A justiça tem que fazer o seu trabalho. Eles têm de ser interrogados para perceber o que aconteceu”, afirmou Guy Charmetant.

O autarca salientou que “certo é que o jovem cometeu uma infração em solo francês” porque “em França para poder conduzir um veículo com mais de nove pessoas tem de ter obrigatoriamente 21 anos”.

O condutor, um jovem também português de 19 anos, foi o único sobrevivente entre os ocupantes da carrinha envolvida no acidente, que ocorreu por volta das 23:45 de quinta-feira na estrada nacional N79, perto da cidade francesa de Lyon, na localidade de Moulins.