O Hospital de Santa Maria, em Lisboa, tem desde as 08:00 desta quinta-feira e até segunda-feira uma equipa de prevenção na neurocirurgia vascular para atender casos como o do jovem que morreu no São José por falta de assistência especializada.

Segundo o hospital, a medida segue a orientação do Ministério da Saúde, que, após tomar conhecimento da morte do jovem, determinou o fim dos constrangimentos no atendimento deste tipo de casos aos feriados e fins de semana.

O Hospital de Santa Maria e o Hospital de São José compõem a urgência metropolitana de Lisboa e estão encarregues de responder a casos como o do aneurisma que rompeu e que terá vitimado o jovem, por alegadamente não existir uma equipa que o operasse ao fim de semana no Hospital de São José, onde foi assistido.

Durante a época do Natal, e na passagem de ano, se for caso disso, estas situações serão tratadas no Hospital de Santa Maria, segundo disse à Lusa o administrador da instituição, Carlos Martins.

O dirigente determinou ainda que, caso não existam meios suficientes para a resposta necessária, estes sejam encaminhados para outras instituições, seja no setor público, ou privado.

Na sequência da morte de David Duarte, na madrugada de domingo, o Ministério da Saúde pediu à administração do Centro Hospitalar de Lisboa Central e à Inspeção-Geral das Atividades em Saúde para apurarem eventuais responsabilidades do Hospital de São José na morte do doente.

A Procuradoria-Geral da República já abriu inquérito à morte de David Duarte para averiguar eventuais ilícitos criminais e responsabilidade do Estado, administradores e médicos.

A equipa de prontidão no Santa Maria - que funcionará até às 08:00 de segunda-feira - é composta por seis pessoas: um neurocirurgião com capacidade para aneurisma roto, um anestesista com prática nesta intervenção cirúrgica, três enfermeiros e um assistente operacional.