“Os dados são anónimos e enviados às autoridades em situações fora do normal”, adianta a Deco, explicando que esta ferramenta vai permitir detetar problemas e pressionar as autoridades para melhorar o serviço.




“Para ajudar os utentes a reivindicar os seus direitos, no início do ano lançámos uma ferramenta sobre os tempos de espera na saúde, que permite verificar se o prazo legal para o utente obter o cuidado de saúde já se esgotou e, em caso afirmativo, usar a nossa carta-tipo para reclamar”, recorda a associação em declarações à Lusa.