O Ministério Público realizou novas buscas no âmbito das investigações relacionadas com o denominado “Universo Espírito Santo”.

Segundo um comunicado da PGR, “realizaram-se diligências de busca a seis domicílios e sete pessoas coletivas, entre as quais entidades bancárias”.

As buscas decorreram em Lisboa e no Funchal.

Além do Ministério Público, estiveram envolvidos elementos da Polícia Judiciária, da PSP e da Autoridade Tributária, além elementos do Banco de Portugal e da CMVM, que realizaram “assessoria técnica”.

Nos inquéritos relacionados com o Grupo Espírito Santo, já foram constituídos 17 arguidos, entre os quais Ricardo Salgado.