Duas novas espécies animais, um morcego e um pequeno mamífero, foram descobertas, nas últimas semanas, na Mata do Buçaco, por investigadores da Universidade de Aveiro (UA), informou hoje a fundação que gere aquele espaço natural.

De acordo com uma nota da Fundação Mata do Bussaco (FMB), os investigadores do departamento de Biologia da UA registaram «pela primeira vez» a presença do morcego-de-ferradura-mediterrânico, uma espécie em vias de extinção, e ainda o musaranho-de-água, «um mamífero sobre o qual existe muito pouca informação».

O morcego-de-ferradura-mediterrânico está classificado no Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal como «criticamente em perigo» e a mesma obra «atesta a raridade da espécie», indicando, de acordo com a nota da FMB, que no território continental deverão existir menos de mil exemplares.

«Este morcego é maioritariamente cavernícola, podendo, no entanto, também abrigar-se em edifício. Alimenta-se em áreas de floresta de folhosas e autóctone, motivo que o terá atraído à Mata do Buçaco», refere.

Com a confirmação da existência do morcego-de-ferradura-mediterrânico, o número de espécies de morcegos naquela mata nacional atinge as 15, «número bastante impressionante, atendendo a que em Portugal continental ocorrem 25 espécies», assinala a Fundação.

Já o musaranho-de-água, um pequeno mamífero semelhante a um roedor, com pelagem escura e ventre branco, é uma espécie m«uito pouco conhecida» e «muito tímida», cujo estatuto de conservação em Portugal aponta para «informação insuficiente», por ser de difícil observação e captura «e assim existir muito pouca informação sobre a sua abundância e requisitos ecológicos», adianta a nota.

«Estas duas descobertas vêm mais uma vez demonstrar o oásis de biodiversidade que é a Mata Nacional do Buçaco», refere a Fundação, aludindo ao espaço natural que se estende por 105 hectares e providencia alimento, abrigo e refúgio para mais de 150 espécies de vertebrados.