A presidente da Câmara de Cantanhede caracterizou de “tremendo” o incêndio que começou em Quiaios, Figueira da Foz, e que alastrou àquele concelho, obrigando à evacuação do parque de campismo da Praia da Tocha.

“A rapidez da propagação das chamas levou a que o incêndio aqui chegasse em 01:30. A situação é tremenda”, disse Helena Teodósio.

A autarca explicou já ter falado com o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, para procurar ter mais meios no combate a este fogo, mas que o governante, embora tenha demonstrado também essa intenção, reconheceu que as “dificuldades estão por todo o lado”.

No local, constatou a agência Lusa, há várias máquinas da autarquia e de privados a colaborar no combate.

O concessionário do parque de campismo, Pedro Lindim, disse que foram retiradas 100 pessoas daquele espaço e que lá dentro ainda se mantêm cerca de 20, a ajudar em determinadas tarefas de proteção civil.

Doentes do Rovisco Pais concentrados num único pavilhão

Quarenta doentes internados no hospital Rovisco Pais, em Cantanhede, foram concentrados num único pavilhão, naquela mesma unidade de saúde, disse fonte da Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC).

“Todos os doentes estão em segurança”, disse a mesma fonte.

Estes doentes, de acordo com a ARSC, são 30 do pavilhão de lesões vertebro-medulares daquele centro de reabilitação da região Centro e dez de uma outra unidade.

Ainda de acordo com a ARSC, os familiares de doentes que tinham ido passar o fim de semana fora da unidade hospitalar, foram aconselhados a não voltar hoje ao hospital Rovisco Pais.

“Foram todos contactados, para que os doentes apenas regressem quando houver medidas de segurança normais”.

Entretanto, o Hospital da Figueira da Foz foi contactado no sentido de prestar assistência a todos quantos necessitem de cuidados especiais, nomeadamente respiratórios.

Na sequência deste incêndio, a Câmara de Mira, distrito de Coimbra, pediu hoje aos populares das urbanizações Miroasis e Miravillas para se deslocarem calmamente para o centro da Praia da Mira.

Numa mensagem publicada no Facebook, o presidente da Câmara de Mira, Raul Almeida, pede para as pessoas se manterem atentas à página da autarquia e à página da Proteção Civil.

“Pede-se à população do Miroasis e Miravillas que, calmamente, comece a sair das suas casas em direção ao centro da Praia de Mira”, lê-se uma publicação intitulada “Aviso muito importante”.

Este incêndio, que está a obrigar a estas intervenções, teve origem em Quiaios, na Figueira da Foz, e já atingiu Cantanhede e agora Mira.