Uma funcionária do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) foi suspensa de funções e constituída arguida, juntamente com um advogado, no âmbito de uma investigação a crimes de corrupção e auxílio a imigração ilegal.

Em causa estão também indícios de abuso de poder e prevaricação, segundo um comunicado divulgado pelo SEF, nesta terça-feira.

A investigação foi iniciada pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Loures, estando os dois arguidos sujeitos a Termo de Identidade e Residência.

A funcionária do SEF pertence à carreira de investigação e fiscalização.