O furacão Ophelia, que subiu a categoria 2, estava a 995 quilómetros a sudoeste dos Açores, às 09:00 locais (mais uma hora em Lisboa), deslocando-se na sua direção, anunciou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Segundo o último comunicado do Centro de Previsão e Vigilância Meteorológica dos Açores, o ciclone, designação meteorológica que engloba tempestades tropicais e furacões de categorias 1 a 5, “está a deslocar-se para este/nordeste a 13 quilómetros/hora em direção ao arquipélago”, ou seja, o dobro da velocidade (no último relatório movia-se a 6 km/h)

“De acordo com a previsão, existe uma probabilidade de o ciclone condicionar o estado do tempo no grupo oriental (com vento médio igual ou superior a 65 quilómetros/hora) a partir das 12:00 de sábado que em Santa Maria varia entre 50 a 70% e em São Miguel entre 20 a 30%", indica o IPMA.

Prevê-se, assim, que a partir daquela hora “ocorra um agravamento do estado do tempo, com precipitação forte e acompanhada de trovoada, vento com rajadas que em São Miguel podem chegar aos 100 quilómetros/hora e em Santa Maria poderão ultrapassar os 100 quilómetros/hora, e ondas que podem atingir os seis metros de altura significativa”.

Nos grupos ocidental (ilhas das Flores e do Corvo) e central (Faial, Pico, Terceira, São Jorge e Graciosa), devido a uma superfície frontal fria com atividade moderada a forte, prevê-se precipitação por vezes forte, podendo ser acompanhada de trovoada.

LEIA TAMBÉM: Ophelia não chega a Portugal continental (mas...)

O IPMA emitiu avisos amarelo e laranja para o arquipélago devido à previsão de chuva, vento, trovoada e agitação marítima.

As ilhas de Santa Maria e de São Miguel estão sob aviso laranja para vento e aviso amarelo para agitação marítima a partir das 12:00 de sábado e até às 06:00 de domingo.

O IPMA emitiu ainda um aviso laranja devido à chuva forte prevista entre as 12:00 e as 24:00 de sábado nestas duas ilhas.

Sob aviso laranja para chuva forte estão as cinco ilhas do grupo central entre as 00:00 e as 18:00 de sábado. Neste período vai vigorar ainda um aviso amarelo para trovoada.

Para as Flores e Corvo, até às 18:00 de hoje está prevista trovoada e precipitação forte, pelo que estas duas ilhas estão sob aviso amarelo.

O aviso laranja é o segundo de uma escala de quatro e indica situação meteorológica de risco moderado a elevado. O aviso amarelo, o terceiro de uma escala de quatro, revela situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

Proteção Civil reforça meios em Santa Maria

A Proteção Civil dos Açores vai reforçar os meios na ilha de Santa Maria devido à aproximação do furacão.

Neste momento, temos em alerta todos os agentes de Proteção Civil na Região Autónoma dos Açores. A Proteção Civil, junto com os bombeiros, irá mandar um reforço para Santa Maria, que irá já durante a tarde de hoje, no sentido de precavermos uma necessidade de maior apoio às populações”, afirmou o tenente-coronel Carlos Neves, presidente do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros.

Segundo o presidente do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores, o reforço são duas equipas que “irão de São Miguel, uma equipa da corporação da Ribeira Grande e outra equipa da corporação de Ponta Delgada”.

“Serão reforçados com meios de comunicação e com três operacionais do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores”, adiantou Carlos Neves, explicando que são 13 no total.

Carlos Neves adiantou que também foram contactadas outras áreas da Proteção Civil, “nomeadamente as Obras Públicas”, além de contactos frequentes com a Força Aérea para se poder ter “todos os meios disponíveis prontos para socorrer caso a situação se agrave”.

O tenente-coronel destacou que as pessoas têm de tomar as devidas precauções para estas situações, exemplificando que devem ter portas e janelas bem fechadas ou não deixar objetos soltos nos quintais que possam voar, e a limpeza e desentupimento de linhas de água junto às casas e ruas.

A população dos Açores está muito sensibilizada para estas situações e tem um grande cuidado e já uma grande experiência ao longo dos anos para tomar as devidas cautelas e para se proteger ao máximo possível, no sentido de evitar estragos e evitar também alguns constrangimentos a nível físico e humano”, acrescentou o presidente da Proteção Civil dos Açores.

Autoridade Marítima pede cuidados

A Autoridade Marítima recomendou hoje um reforço das amarrações das embarcações atracadas e a colocação em terra dos barcos mais pequenos, sobretudo nas ilhas de São Miguel e Santa Maria.

Um comunicado da Capitania do Porto de Ponta Delgada, em São Miguel, e de Vila do Porto, em Santa Maria, alerta para a previsão de ventos fortes e ondulação muito significativa no grupo oriental, em especial no domingo, pelo que aconselha à comunidade marítima “uma vigilância especial” e o reforço das amarrações das embarcações atracadas e a colocação em terra dos barcos mais pequenos nas costas norte de São Miguel e Santa Maria.

Estas condições de mar e vento que, embora não sejam motivo para alarme, inspiram cuidados acrescidos e muita prudência relativamente a todas as atividades em domínio público marítimo", sublinha um comunicado assinado pelo capitão do Porto de Ponta Delgada, Cruz Martins, recomendando ainda muita prudência junto da orla costeira, tendo em conta que o mar pode “chegar a zonas da costa onde normalmente não chega".

A Autoridade Marítima assegura também que irá manter os seus meios em prontidão.