Os trabalhadores da Rodoviária de Lisboa (RL) suspenderam uma greve de 24 horas que tinham marcado para sexta-feira para exigir o "aumento dos salários", anunciou a Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (FECTRANS).

Em declarações à agência Lusa, Luís Venâncio, da FECTRANS, explicou que os trabalhadores decidiram em plenário deixar passar o "período festivo" [Natal e Ano Novo] para reavaliar a situação.

Verificamos que nesta altura a mobilização dos trabalhadores seria baixa e preferimos esperar pelo início de janeiro para fazer um novo balanço e discutir novamente com a empresa", explicou o sindicalista.

No final de outubro, a FECTRANS tinha anunciado que iria realizar no dia 15 de dezembro uma greve de 24 horas para exigir o aumento dos salários.

Em comunicado, o sindicato afirmou que os motoristas da RL têm salários de 635, 645 e 750 euros, remunerações que, de acordo com os trabalhadores, "não estão de acordo com as responsabilidades atribuídas".

É um processo que continua em aberto e vamos continuar a reivindicar. Veremos o que a empresa vai responder e, se for o caso, quais serão os moldes da nossa luta", apontou.

A Rodoviária de Lisboa serve os concelhos de Lisboa, Loures, Odivelas e Vila Franca de Xira, servindo cerca de 400 mil habitantes. A empresa transportadora dispõe de mais de 370 viaturas e de 560 motoristas.