Um militar da GNR foi morto e outro ferido com gravidade em Aguiar da Beira, durante uma ação de patrulhamento, disse à TVI24 fonte da GNR.

Informações de última hora revelam que dois civis foram encontrados atrás de um arvoredo na EN229, onde também foi encontrado o carro de patrulha onde os assaltantes tinham fugido. Segundo foi possível apurar, um homem foi encontrado já cadáver enquanto uma mulher foi encontrada "em paragem cardiorrespiratória", tendo sido transportada para o Hospital de Viseu. A GNR não confirma ainda que ambas as situações estejam ligadas. 

As duas vítimas civis foram encontradas com ferimentos de bala, quando as autoridades procediam à recolha de provas junto ao carro patrulha onde estava o militar entretanto declarado morto e que se encontrava abandonado atrás de arvoredo, junto á EN229. 

De acordo com o Major Pedro Gonçalves em declarações à TVI24, pouco depois das 11:00, os dois militares da GNR de Aguiar da Beira foram chamados para uma ação de patrulhamento durante a madrugada, tendo sido alvejados pelos suspeitos. 

Dessa situação resultaram inicialmente dois feridos graves que ficaram logo em estado muito crítico e, infelizmente, soubemos há quinze minutos, um dos militares acabou por falecer".

Os suspeitos colocaram-se depois em fuga com o carro da GNR, que foi encontrado abandonado com o corpo do militar, de 29 anos, na bagageira. O outro militar, gravemente ferido, foi encontrado abandonado "no local onde terá ocorrido o primeiro confronto com a GNR". É considerada uma peça chave para desvendar o que aconteceu, dado ser a única testemunha, mas, por causa da gravidade dos ferimentos, não conseguiu ainda prestar declarações. 

Inicialmente, as informações avançadas davam conta de um assalto a um hotel em construção. Contudo, a GNR não confirma e sublinha que se tratou de uma “situação inopinada com a qual os militares se depararam naquele momento”.

A GNR adianta que se tratam de "pelo menos dois suspeitos". "Todas as outras informações que possam ser dadas são mera especulação", sublinha a mesma fonte.

Um dos suspeitos já foi identificado e trata-se de um indivíduo que se encontra referenciado por outras situações do foro criminal.

Há um forte contingente na caça ao homem, com reforço junto às zonas fronteiriças e as autoridades espanholas foram já alertadas.

Cerca das 12:30, um dos suspeitos foi intercetado por uma patrulha da GNR em São Pedro do Sul, Viseu. O fugitivo desrespeitou as ordens das autoridades, tendo havido disparos por parte dos militares. No entanto, o homem conseguiu fugir.  

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro da Guarda, o alerta foi dado às 07:25. "Desde o momento confronto, até ao momento em que nos apercebemos de que algo se passava, terá mediado entre meia a uma hora", disse um responsável da GNR aos jornalistas. 

O comandante de posto apercebeu-se que a viatura [da GNR] se encontrava imóvel e num local suspeito há muito tempo. Tentaram contactar os militares e não conseguiram. Por isso deram o alerta", explicou.

O GNR ferido foi transportado para o Hospital de Viseu onde se encontra  "estabilizado, mas inspira cuidados e vigilância", disse fonte do Centro Hospitalar Tondela-Viseu.

De acordo com o diretor do Serviço de Urgência do Centro Hospitalar Tondela-Viseu, Miguel Sequeira, o militar de 41 anos sofreu ferimentos de bala na face.

Encontra-se estabilizado, mas inspira cuidados e vigilância. Está em avaliação na neurocirurgia e na cirurgia geral", revelou.

Em comunicado enviado às redações, a Associação Nacional Autónoma de Guardas (ANAG) lamenta a morte de "mais um militar da GNR ao serviço da segurança de bens e pessoas". 

A Associação vai reunir com a ministra da Administração Interna para "mais uma de muitas vezes reclamar a profissão de risco e para o poder político verificar a gravidade da situação".

Marcelo lamenta morte de militar

O Presidente da República expressou "profunda consternação" pela morte de um militar da GNR em Aguiar da Beira e pelo ferimento grave de outro, cuja situação disse estar a acompanhar.

"Foi com profunda consternação que o Presidente da República tomou conhecimento, esta manhã, do terrível desfecho de uma ação de patrulhamento em Aguiar da Beira que envolveu dois militares da GNR, da qual resultou a perda inestimável de um guarda e o ferimento grave de outro", lê-se numa nota colocada no site da Presidência da República.

A mesma nota refere que "o Presidente, sensível aos exemplos de grande coragem e dedicação destes elementos da GNR, está atento à recuperação do militar ferido e dirige as mais sentidas condolências à GNR, aos familiares e aos amigos do militar que perdeu a vida no cumprimento da sua missão".