Um incêndio na zona de Dornes, no concelho de Ferreira do Zêzere, provocou esta quarta-feira a morte de um turista alemão que estava numa caravana. Inicialmente, as informações sobre este incêndio davam conta de que a vítima mortal era o vigilante do parque dos sapadores de Dornes, mas a Proteção Civil confirmou agora que se trata de um turista alemão.

Em declarações à agência Lusa, o responsável pela Proteção Civil do município de Ferreira do Zêzere, Pedro Mendes, disse que o incêndio começou debaixo de um telheiro, cerca das 03:40, em Vale Serrão, na freguesia de Nossa Senhora do Pranto (Dornes), onde estava estacionada a caravana, com um único ocupante, com cerca de 40 anos.

No local estava também uma carrinha da junta de freguesia da localidade e dois jipes dos sapadores florestais.

Segundo a mesma fonte, o incêndio "terá possivelmente deflagrado no interior da caravana", tendo as chamas alastrado à carrinha de nove lugares, propriedade da junta de freguesia, e às duas viaturas dos sapadores.

"A caravana, a carrinha e uma das viaturas dos sapadores florestais arderam por completo, tendo a segunda viatura dos sapadores ardido parcialmente", acrescentou Pedro Mendes.

Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Santarém tinha dito esta manhã à Lusa que foi recebido o alerta sobre um incêndio rural na zona de Dornes e que tinha morrido um vigilante do parque de sapadores.

Contudo, mais tarde, o CDOS esclareceu que o fogo "ocorreu na caravana onde estava o turista, na zona de guarda dos equipamentos dos sapadores, tendo-se propagado às restantes viaturas".

O incêndio foi dado como extinto às 04:15.

No local estiveram as corporações de bombeiros de Ferreira do Zêzere, Tomar e Cernache, com 26 operacionais e sete viaturas, a GNR e a Polícia Judiciária.

Os distritos de Aveiro, Viana, Braga e Porto são esta quarta-feira de manhã os distritos que mais preocupam os bombeiros, em Portugal continental, com incêndios de grandes dimensões como os de Águeda, Arouca e Vila Nova de Cerveira, que sofreram alguns reacendimentos devido ao vento.

Na Madeira, três pessoas morreram na sequência de incêndios que afetaram sobretudo o município do Funchal. As chamas obrigaram mais de mil pessoas a abandonar as casas e os hotéis onde estavam alojadas, na sequência do fogo que na terça-feira atingiu a zona baixa da cidade do Funchal.

Os incêndios obrigaram ao corte de várias estradas esta quarta-feira. A autoestrada A43 foi cortada esta quarta-feira pelas 08:00 em Jovim, Gondomar, e a A28 está há mais de dez horas interdita ao trânsito em Gondarém, Vila Nova de Cerveira.