O corpo do jovem britânico, que estava desaparecido desde o dia 20 de agosto nas águas da barragem de Santa Clara, no concelho de Ourique, foi encontrado este sábado de manhã, confirmou à TVI24 uma fonte dos Bombeiros Voluntários de Ourique.

A mesma fonte adiantou que o corpo veio à superfície e foi encontrado a boiar nas águas e perto das margens da albufeira por um funcionário de uma propriedade situada junto à barragem e que alertou a corporação às 09:30.

Os bombeiros deslocaram-se ao local e alertaram as autoridades e, cerca das 12:00, aguardavam a chegada de elementos da Polícia Judiciária e do Núcleo de Investigação Criminal da GNR para se poder retirar o corpo das águas da barragem, disse o comandante dos Bombeiros Voluntários de Ourique, Mário Batista.

Depois de retirado das águas e feitas as perícias necessárias pela Polícia Judiciária e pela GNR, o corpo será transportado pelos bombeiros para o Gabinete Médico-Legal e Forense do Baixo Alentejo, no hospital de Beja, para ser autopsiado, adiantou o comandante.

O alerta para o desaparecimento de Richard Chapelow, de 29 anos, foi dado às 16:54 de 20 de agosto, quando dez pessoas, todas de nacionalidade britânica, navegavam nas águas da barragem de Santa Clara. Seis seguiam num barco que puxava uma bóia em forma de banana, onde outros quatro seguiam encavalitadas. Por motivos ainda desconhecidos, o insuflável virou-se e as quatro pessoas caíram à água. Três nadaram até ao barco, enquanto o quarto elemento nunca mais foi avistado.

As autoridades iniciaram as buscas, que foram sendo suspensas ao final da tarde e retomadas ao início da manhã dos dias da operação. As operações de busca duraram 17 dias, sem que o corpo tenha sido encontrado, e terminaram definitivamente na quarta-feira.

Richard Chapelow era amigo dos quatro filhos de Jon Hunt, de 65 anos, e estava a passar férias na zona de Ourique com a família do milionário do ramo imobiliário do Reino Unido.

No próprio dia do desaparecimento do britânico, Jon Hunt e a família emitiram um comunicado, onde se manifestavam "devastados com a perda do Richard" e asseguravam que iriam "trabalhar de perto com as autoridades para perceber o que aconteceu".