O juiz de instrução criminal no Tribunal de Braga determinou esta quarta-feira a suspensão de funções do funcionário da Câmara daquele concelho detido na terça-feira pela Polícia Judiciária por suspeita de corrupção, informou fonte judicial.

O arguido fica ainda proibido de contactar com os funcionários do Departamento de Gestão Urbanística, onde exercia funções, com os vereadores e com o presidente da câmara. Também não pode frequentar as instalações da câmara.

Na mesma operação, a Judiciária deteve também um agente técnico de arquitetura e engenharia, que fica obrigado ao pagamento de uma caução de oito mil euros no prazo de 10 dias e a apresentações semanais na polícia.

Na terça-feira, a Polícia Judiciária (PJ) anunciou a detenção daqueles dois homens, no âmbito de uma investigação por corrupção, tráfico de influências, fraude fiscal, branqueamento de capitais e falsificação de documento.

Em comunicado, a Polícia Judiciária (PJ) referia que deu cumprimento a dois mandados de detenção e a várias buscas, domiciliárias e não domiciliárias, assim como ao arresto e apreensão de bens.