Notícia atualizada às 23:47

Pelo menos 27 pessoas deram entrada, esta sexta-feira, no Hospital de Vila Franca de Xira depois de terem bebido água, com sintomas que apontam para episódios provocados pela bactéria «legionella», confirmou o repórter da TVI24 no local.

Segundo o diretor do Hospital de Vila Franca de Xira, em conferência de imprensa, há um paciente internado nos Cuidados Intensivos e que inspira mais cuidados. De acordo com a mesma fonte, as pessoas foram infetadas através do ar, e não através da ingestão de água.

Cerca das 19:00, a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) informou que 25 pessoas tinham sido internadas com suspeitas de «legionella», aumentando o número inicialmente avanºado pela autarquia de Vila Franca.

«A Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo informa que no Hospital de Vila Franca de Xira deram entrada hoje, 07 de novembro, 25 utentes com queixas do foro respiratório cuja causa está a ser investigada», refere um comunicado divulgado por aquele organismo.

A ARSLVT avança que não há perigo de contaminação «pessoa a pessoa e não há riscos de preocupação acrescida».

Todos os pacientes, residentes nas freguesias do Forte da Casa e da Póvoa de Santa Iria, recorreram ao serviço de urgência do Hospital de Reynaldo dos Santos, alegadamente por terem ingerido água.

«Na posse desta informação, foram no imediato contactados os serviços de Saúde competentes, nomeadamente a direção do Agrupamento de Centros de Saúde “Estuário do Tejo”, que nos informou do número de pessoas que, neste contexto, se encontravam nas urgências. Mais nos foi transmitido que os sintomas apontariam para episódios de ‘legionella’, a confirmar», esclarece a Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, em comunicado.

A autarquia acrescenta que, de seguida, estabeleceu contacto com a EPAL, empresa que fornece a água em baixa aos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS) de Vila Franca de Xira, sobre esta situação, tendo transmitido à câmara municipal «que não tinham qualquer registo de alteração das condições de abastecimento».

O município sublinha que os serviços laboratoriais dos SMAS de Vila Franca de Xira «estão a proceder a análises à água, não se verificando qualquer registo anómalo dos valores normais para consumo humano».

A câmara termina a nota dizendo que aguarda que sejam conhecidos os resultados dos exames realizados aos pacientes que deram entrada no hospital da cidade.

«Água pode ser utilizada para cozinhar e para beber»

O diretor-geral de Saúde disse à Lusa que, «ao que tudo indica, os casos de infeção por legionella circunscrevem-se ao concelho de Vila Franca de Xira.

Ao que tudo indica estará circunscrito àquele concelho», afirmou Francisco George, a propósito do internamento de 27 pessoas infetadas com a bactéria legionella no Hospital de Vila Franca de Xira.

Referindo que ainda se desconhece «a natureza do problema», o diretor-geral de Saúde sublinhou que este «não é provocado por beber água». «A água pode ser utilizada para cozinhar e para beber», garantiu.