Subiu para 30 o número de doentes infetados com legionella, avançou a Direção-Geral de Saúde e o Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge em comunicado conjunto

"Desde o dia 31 de outubro, e até às 20h00 do dia 6 de novembro de 2017, foram diagnosticados 30 casos de Doença dos Legionários com possível ligação epidemiológica ao Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental (CHLO) – Hospital de São Francisco Xavier. Dos 30 doentes, 1 já teve alta, 2 faleceram no dia 6 de novembro e os restantes encontram-se internados. Os doentes são, na sua maioria, idosos com fatores de risco associados, nomeadamente doenças crónicas graves e hábitos tabágicos", pode ler-se no comunicado.

Esta segunda-feira, o Ministério Público disse que está a "recolher elementos" sobre o surto de infeção com a bactéria 'legionella' no hospital São Francisco Xavier, garantindo que vai averiguar “qualquer indício de crime”.

O surto de infeção com a bactéria 'legionella' no hospital São Francisco Xavier provocou dois mortos, um homem de 77 anos e uma mulher de 70 anos, anunciou hoje a Direção-Geral da Saúde. Em conferência de imprensa, a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, adiantou que a mulher estava internada na unidade de cuidados intensivos do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, e o homem nos cuidados intensivos de uma unidade de saúde privada.

Graça Freitas disse que o Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge está a realizar análises, que vão demorar tempo a produzir resultados para detetar a origem do surto, admitindo a responsável que poderá estar nas torres de refrigeração ou no sistema de águas do hospital.

O ministro da Saúde deu duas semanas à Direção-Geral de Saúde e ao Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA) para que "habilitem o governo com um relatório detalhado, que seja do conhecimento público", para apurar a forma como as coisas correram.