A proteção civil açoriana e o Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA) informaram que ocorreu um «novo incremento da atividade sísmica» nas Furnas, ilha de S. Miguel, tendo sido registados esta terça-feira cerca de 26 eventos.

«No dia de hoje, 06 de janeiro, foram registados até ao momento cerca de 26 eventos [sismos], tendo-se verificado um novo incremento da atividade sísmica após as 12 horas» adianta em comunicado a Proteção Civil, acrescentando que «o padrão de atividade observado mantém-se, verificando-se que os sismos ocorrem em pequenos grupos, alternando períodos de maior sismicidade com fases de acalmia».

A mesma fonte indica que desde o início deste período de instabilidade, iniciado no domingo, 04 de janeiro, foram registados no total 93 eventos, todos de baixa magnitude e sem provocar danos.

Até ao momento, o sismo mais forte ocorreu a 04 de janeiro, pelas 08:44 locais (uma hora mais tarde em Lisboa), com epicentro a cerca de quatro quilómetros a oeste da freguesia das Furnas, no concelho da Povoação, sentido com a intensidade máxima II/III (escala de Mercalli Modificada). Além deste, outros dois sismos foram sentidos, nas Furnas, durante o dia de segunda-feira.

O investigador do CIVISA João Luís Gaspar, que é também reitor da Universidade dos Açores, disse na segunda-feira à Lusa que «estes tipos de crises sísmicas muito localizadas no espaço e no tempo são frequentes em sistemas sismovulcânicos» como o da zona em questão.

«Este padrão de atividade já aconteceu no passado. Normalmente é um padrão caracterizado pela ocorrência de sismos em pequenos grupos e é isto que estamos também a verificar agora. Para todos os efeitos mantêm-se as recomendações para situações deste tipo que devem ser tomadas pela população», cita a Lusa. 

As autoridades açorianas continuam a acompanhar o evoluir da atividade sísmica e caso se justifique emitirão novo comunicado.