A quantidade de água armazenada em junho em Portugal continental desceu em dez bacias hidrográficas e aumentou em duas, comparativamente ao mês anterior, segundo o Sistema Nacional de Informação de Recursos Hídricos (SNIRH).

Segundo o boletim de armazenamento de albufeiras do SNIRH, divulgado esta segunda-feira, no último dia de junho, comparativamente a igual período do mês anterior, das 60 albufeiras monitorizadas, verificou-se uma descida em dez bacias e uma descida em duas.

Das 60 albufeiras monitorizadas, 18 apresentavam disponibilidades hídricas superiores a 80% do volume total e 14 têm disponibilidades inferiores a 40%.

Os níveis mais elevados de armazenamento de água em junho de 2017 ocorreram nas bacias do Ave (90,4%), Mondego (77,1%), Lima (77,6%), Barlavento (72,5%), Tejo (72,3%), Cávado (70,8%) e Douro (68,4%).

O SNIRH indica que os armazenamentos de junho de 2017, por bacia hidrográfica, apresentaram-se inferiores às médias dos valores do mesmo mês nos períodos referência de 1990/91 a 2015/16, exceto para as bacias do Lima, Ave e Arade.

A cada bacia hidrográfica pode corresponder mais do que uma albufeira, segundo o SNIRH.