Uma mulher de 50 anos e a filha, de 24, são os feridos graves de uma explosão ocorrida esta sexta-feira numa habitação na freguesia de Águalonga, em Paredes de Coura, disse à Lusa o vice-presidente da Câmara local.

Tiago Cunha, que é também o vereador da Proteção Civil Municipal, adiantou que a mulher «sofreu queimaduras em cerca de 90% do corpo, encontrando-se em coma induzido», tendo sido transportada pelo helicóptero do Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) para o hospital de S. João, no Porto.

A filha, «com cerca de 70% do corpo queimado», foi transportada por uma ambulância de Suporte Imediato de Vida (SIV) para o mesmo hospital.

A explosão ocorreu cerca das 11:20, numa habitação na freguesia de Agualonga, em Paredes de Coura, e provocou ainda ferimentos ligeiros num homem, com cerca de 50 anos, e num rapaz de 16 anos, marido e filho da vítima que se encontra em estado «mais grave».

Um dos feridos ligeiros foi transportado para a unidade hospitalar de Viana do Castelo e o outro para o hospital de Ponte de Lima.

Segundo Tiago Cunha, o homem deverá ter alta hospitalar ainda durante o dia de hoje.

O responsável pela proteção civil municipal adiantou «que se encontra no local uma equipa da Polícia Judiciária a investigar as causas da explosão», que terá tido origem «numa fuga de gás na canalização da habitação».

Tiago Cunha disse ainda que uma equipa da proteção civil municipal «está no local para verificar a estabilidade estrutural da habitação onde ocorreu a explosão, bem como das casas existentes nas proximidades».

«Face à violência da explosão, queremos saber se está afetada a estabilidade das estruturas», explicou Tiago Cunha.

Ao local compareceram sete viaturas e 15 homens dos bombeiros de Paredes de Coura, a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) de Viana do Castelo, uma ambulância SIV de Ponte de Lima, sapadores florestais e a GNR.