O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras deteve no aeroporto de Lisboa um cidadão estrangeiro suspeito de pertencer a um grupo criminoso que transportava, a troco de elevadas quantias monetárias, imigrantes ilegais entre vários países europeus, informou o SEF.

Na terça-feira, o homem foi presente ao Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa, que decretou a prisão preventiva como medida de coação.

O suspeito foi detido pelo SEF no aeroporto de Lisboa quando regressava do Paquistão, via Istambul, país para onde se deslocara em finais de setembro de 2015, na sequência das detenções de outros suspeitos em França e Portugal.

Intitulada “Operação Bouquet", a investigação, em curso no SEF há perto de dois anos sob a direção do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, tem sido coordenada com as autoridades francesas, sob a égide da Eurojust e o apoio da Europol.

A investigação visa um grupo de pessoas que se dedicavam ao transporte de imigrantes ilegais, maioritariamente originários da Península Indostânica, dentro do Espaço Schengen, com vista à sua regularização, recorrendo para isso a documentação falsa ou obtida de forma fraudulenta.

Durante a investigação, os movimentos da rede foram atentamente vigiados, recolhendo-se prova da atuação do grupo que auferia avultados rendimentos colhidos do pagamento dos serviços prestados aos imigrantes ilegais que angariavam.

As viagens faziam-se por via terrestre, em carros ligeiros e em monovolumes, tendo como origem e destino vários países europeus.

No âmbito desta investigação encontram-se em prisão preventiva três pessoas em Portugal e uma pessoa em Itália, sob quem pendia um mandado de detenção europeu, encontrando-se, no entanto, em curso os procedimentos para a sua extradição em Portugal.