O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, exibe uma expressão facial «congruente, consistente e verdadeira», segundo o director do Laboratório de Expressão Facial da Emoção (FEELab) da Universidade Fernando Pessoa, Porto, Armindo Freitas-Magalhães, refere a Lusa.

Em comunicado, o laboratório refere que, para Freitas-Magalhães, «os movimentos e linguagens faciais do presidente Obama são simétricos e articulados com o discurso verbal e contexto nos quais são produzidos e exibidos».

O FEELab está a desenvolver um estudo inédito da expressão e linguagens faciais de Barack Obama, iniciado aquando do anúncio da candidatura à Casa Branca e integrado no projecto científico «Neuropsicofisiologia da face: Os movimentos e linguagens em figuras públicas».

Freitas-Magalhães vai apresentar os resultados deste estudo no I Congresso Mundial de Psicologia Positiva, que se realiza em Maio em Filadélfia, Estados Unidos, organizado pela International Positive Psychology Association (IPPA), da qual é membro.

Para o especialista, «a matriz científica consensual que se aplica no exercício do estudo da expressão facial revela coerência psicofisiológica, particularmente das unidades de acção muscular associadas aos estados emocionais».

Um dos exemplos daquela «harmonia facial» é o sorriso do presidente norte-americano, definido por Freitas-Magalhães como «um modelo de sorriso verdadeiro, porque cumpre, na íntegra, os pressupostos da intensidade, duração e congruência contextual».

Para o pioneiro em Portugal dos estudos científicos sobre a funções e repercussões do sorriso na comunicação humana, «a expressividade verdadeira e espontânea justifica a facilidade, aceitação e o sucesso mundial da interacção comunicativa» do presidente dos Estados Unidos e representa «um estudo de caso público exemplar no âmbito da ciência da face humana».