O primeiro-ministro afirmou hoje que os dados do crescimento da economia portuguesa no primeiro trimestre deste ano estão em linha com as previsões do Governo e manifestou-se confiante numa aceleração do crescimento até ao fim de 2018.

António Costa falava aos jornalistas no quartel da Pontinha, concelho de Odivelas, depois de confrontado com os mais recentes dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), segundo os quais a economia portuguesa terá crescido 2,1% no primeiro trimestre em termos homólogos e 0,4% em cadeia.

Para o primeiro-ministro, esses dados "estão em linha com o previsto" pelo Governo, já que se antevia para este ano "um menor ritmo do crescimento da economia portuguesa, em linha com a evolução da economia europeia".

Mas o Governo tem a expectativa com o trimestre que já está a decorrer que a economia venha a registar um melhor resultado", disse.

Na perspetiva do primeiro-ministro, há dois indicadores que levam o executivo minoritário socialista a sustentar esse otimismo em relação ao resto do ano.

Em primeiro lugar, segundo o líder do executivo, "está o facto de logo no primeiro trimestre o investimento ter possuído um crescimento significativo, o que é importante".

Por outro lado, verifica-se pela evolução das contribuições para a Segurança Social que o ritmo de redução do desemprego e de criação de emprego continua bastante acelerado", apontou.

No entanto, António Costa insistiu que a estimativa do Governo para 2018 prevê "um ritmo de crescimento menor do que no ano passado, em linha com aquilo que acontece na economia europeia".

De acordo com a estimativa rápida hoje divulgada pelo INE, o Produto Interno Bruto (PIB), em termos homólogos, aumentou 2,1% em volume no primeiro trimestre de 2018 (2,4% no trimestre anterior) e, comparativamente com o quarto trimestre de 2017, o PIB aumentou 0,4% em termos reais (0,7% no trimestre anterior).

Em linha com Europa

Já o Ministério das Finanças destacou que o ritmo de crescimento português está "em linha" com a evolução da economia europeia, "onde o crescimento foi afetado por vários fatores temporários".

O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou hoje que o PIB cresceu 2,1% no primeiro trimestre em termos homólogos, ficando abaixo das estimativas dos analistas ouvidos pela Lusa.

Em comunicado, o gabinete de Mário Centeno destaca que "este ritmo de crescimento está em linha com a evolução da economia europeia, onde o crescimento foi afetado por vários fatores temporários" e lembra que se trata do "16.º trimestre consecutivo de crescimento inclusivo da economia portuguesa, mantendo-se a tendência de aumento do emprego, do investimento e de melhoria da competitividade".

O crescimento do PIB continua a ser impulsionado por um forte crescimento do emprego, refletido num aumento expressivo da receita da Segurança Social, e na redução do desemprego. O crescimento do primeiro trimestre teve um importante contributo do investimento, mantendo-se assim o padrão de crescimento dos trimestres anteriores", sinaliza.

As Finanças destacam ainda que o comportamento das exportações no primeiro trimestre de 2018 esteve sujeito a um efeito de calendário significativo (menos dois dias úteis que no trimestre homólogo), com os dados preliminares do comércio extra-União Europeia para o mês de abril a indiciarem uma forte correção deste efeito.

Abril foi também o mês com o maior volume de exportações de sempre do comércio internacional para fora da União Europeia, acrescenta.