A Unicer cresceu nas exportações 9,2 por cento em 2008 face ao ano anterior, com uma subida que representa mais 17 milhões de litros.

De acordo com dados da dona da «Super Bock», as actividades nos mercados internacionais passaram a representar cerca de 27,4% dos volumes totais, mais 2,4 pontos percentuais do que no ano anterior. Ou seja, mais de um quarto da vendas da empresa já vêm de outros países.

«Sagres» começa 2009 a ultrapassar «Super Bock»

«Super Bock» quer continuar a liderar «sem fazer guerras»

«O crescimento dos volumes decorre principalmente do negócio em Angola, nomeadamente nos sectores das cervejas e das águas», informa a Unicer em comunicado.

A empresa é a que mais cerveja exporta para Angola: de acordo com os dados do INE, a quota de mercado é de 90% (em volume) e de 95% (em valor) no total de cervejas nacionais que chegam ao mercado angolano.

Anualmente, Angola recebe aproximadamente 140 milhões de litros de cerveja de origem portuguesa, dos quais 125 milhões são da Unicer, no conjunto das marcas «Super Bock», «Cristal» e «Carlsberg».

Os volumes globais da Unicer em Angola (nas categorias cerveja, águas e sumos) registaram um crescimento próximo dos 12%, para atingir os cerca de 148 milhões de litros em 2008.

África e Ásia são apostas para 2009

Já sobre este ano, a Unicer espera continuar com «o investimento gradual e rigoroso em Angola, e noutros mercados internacionais, considerando que em Portugal se vive um momento de estagnação no mercado das bebidas».

Só no continente africano, a Unicer espera desenvolver a sua actividade na Namíbia, Moçambique e África do Sul.

Excluindo Angola, a Unicer consolidou em 2008 a sua posição em Cabo Verde, com uma quota de mercado de 75% (volume) e 81% (em valor).

A Unicer estreou-se também recentemente no mercado asiático, uma zona geográfica que a empresa defende ser de forte crescimento ao nível do consumo mundial de cerveja. No Japão e na Coreia do Sul a distribuição ficará assegurada por parceiros da área alimentar.

Já na Europa, os volumes globais registaram um crescimento de 1,6%. Melhor esteve o continente americano, com os volumes a denotarem um crescimento de 13%. Neste ponto, a Unicer espera reforçar a presença em países como o Canadá, a Colômbia, a Venezuela e o Brasil.

«O objectivo da empresa é tornar o mercado estrangeiro cada vez mais importante, de forma a contribuir significativamente para o contínuo bom desempenho de gestão global e garantido a sustentabilidade da empresa no futuro», diz a empresa em comunicado.