O PCP requereu esta terça-feira a presença da Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM) no Parlamento para explicar os aumentos dos preços das chamadas de telemóvel em Portugal, afirmando que «suscitam inevitáveis interrogações» sobre questões de concorrência, avança a Lusa.

Numa carta enviada ao presidente da comissão de Obras Públicas, Transportes e Comunicações, o deputado comunista Bruno Dias sublinha que o aumento de 2,5 por cento dos preços das chamadas «agrava o quadro de crise que a populações e as micro, pequenas e médias empresas enfrentam».

Bruno Dias considerou que o aumento é inaceitável frisando que o relatório de acompanhamento dos mercados de comunicações electrónicas apresentado em 2008 pela Autoridade Nacional de Comunicações revela que «o preço das chamadas para as empresas de telecomunicações baixou para metade em dois anos».

«Mas, no mesmo período, o preço não baixou para os consumidores, tendo aliás permanecido acima da média da União Europeia a 15, em termos de paridade de poder de compra», sublinhou o deputado do PCP.