A Operação Resgate Fiscal ficou-se por uma cobrança de 8 por cento face aos 2,8 mil milhões de euros retidos abusivamente pelas empresas, relativamente ao IVA e ao IRS deduzido aos seus trabalhadores, noticia o «Público».

O fisco partiu com grandes objectivos, mas acabou por despenalizar 95 por cento dos contribuintes que estavam em falta. O universo dos visados englobava, inicialmente, mais de 55 mil empresas, mas só há processos abertos a pouco mais de 3 mil.

De acordo com o mesmo jornal, o Ministério das Finanças não reconhece que se tratou de um fracasso e diz apenas que, em 3.819 processos, o Governo recuperou «250 milhões de euros entre Agosto e Dezembro de 2008, no âmbito da Operação Resgate Fiscal».

IMI 135 euros mais caro

Em Portugal, o crime de abuso de confiança fiscal é punível com pena de prisão até 3 anos. Em 1.441 casos, 296 acabaram em processo-crime.