A Galp Energia admitiu esta quarta-feira que está à procura de financiamento para os projectos de 2010 e 2011, mas nega a decisão de um aumento de capital. O presidente da empresa, Ferreira de Oliveira, adiantou, no entanto, estar a estudar todas as hipóteses.

Recorde-se que, esta manhã o «Diário Económico» garantiu que a petrolífera iria avançar com um aumento de capital no valor de 1,5 mil milhões de euros.

«Para essa fase, temos opções estruturais e apresentaremos aquela que trará mais valor aos accionistas». Para Ferreira de Oliveira, há planos de investimento ambiciosos para os próximos anos que assume não descartar «nenhum tipo de financiamento» neste momento. Sobre os projectos de 2009, adiantou que esses já estão assegurados. «O que não faltam são alternativas para financiar projectos rentáveis. O aumento de capital é apenas uma das opções», acrescentou.

De referir que a Galp vai divulgar publicamente, na próxima quinta-feira de manhã, o seu novo plano de investimentos.

Relativamente à estratégia da empresa, o gestor avançou que continua a ter «ambições» na área da electricidade, nomeadamente no eólico e hídrico, até porque permite tornar

o negócio do gás «mais competitivo».

Ferreira de Oliveira disse que há «várias hipóteses hídricas em Portugal em cima da mesa», sem querer adiantar mais pormenores. Acerca das necessidades de gás da Galp, o responsável mostra-se tranquilo ao considerar que tem abertas «muitas portas para satisfazê-las».