A EDP assinou um contrato de financiamento de 1,6 mil milhões de euros, num prazo de três anos, na modalidade de «revolving».

Esta linha pretende dar liquidez à empresa liderada por António Mexia.

«A transacção, inicialmente prevista para um montante de 1.000 milhões terminou com um valor 1,6 vezes superior, confirmando o forte perfil creditício da EDP, num contexto de difícil situação dos mercados financeiros internacionais», avançou a eléctrica portuguesa em comunicado.

A transacção foi organizada pela própria EDP, na modalidade de Club Deal, contando com a participação de 19 bancos nacionais e internacionais. O Santander Totta, La Caixa, Morgan Stanley, BCP e BPI foram alguns dos bancos envolvidos nesta operação.

As acções da empresa fecharam a cair 3,57% para os 2,35 euros.