O economista Silva Lopes considera que devia haver congelamento de salários em Portugal para fazer frente à crise financeira.

Num almoço de homenagem organizado pela Associação Industrial Portuguesa (AIP), em Lisboa, o ex-ministro das Finanças explicou que o economista Keynes defendia que ao se congelarem salários, a redução do poder de compra consequente só agrava a crise financeira. «Mas isso é o que acontece se não se aplicar o dinheiro que se pouparia com o congelamento», disse.

Silva Lopes diz que é preciso adoptar medidas «pouco ortodoxas» e que os mais ricos devem sofrer uma redução dos seus salários.

No entanto, «se cortarmos nos mais ricos não vamos ajudar muito os pobres, porque os ricos são poucos», acrescentou.

Taxa de desemprego pode subir até 10%

Silva Lopes mostrou-se preocupado com os efeitos da crise financeira ao nível do emprego: «Quem vai pagar a crise são os desempregados», sustentou no mesmo encontro. E disse não se admirar se a taxa de desemprego subir até aos 10% este ano.

O economista sublinhou que, em 2009, o rendimento disponível dos portugueses vai ser inferior em 2 a 3%. «Quem paga estes 3% são os desempregados», acrescentou.

Silva Lopes lembrou que, nos últimos anos, esse rendimento disponível «praticamente não cresceu».