O Banif vai propor um aumento de capital de 350 para 500 milhões de euros reservado a accionistas, na Assembleia-Geral (AG) marcada para 31 de Março.

O anúncio foi feito esta segunda-feira pelo presidente Horácio Roque, na conferência de imprensa para apresentação dos resultados anuais da instituição, e é uma medida para cumprir recomendações do Banco de Portugal (BdP), que passam pela meta de Tier 1 de 8% até Setembro.

O objectivo é «dar poder ao Conselho de Administração para que este realize o aumento de capital nas condições que definir, para ser feito de forma flexível e em função das necessidades».

«Isto dá-nos uma folga bastante grande para cumprir as recomendações que houver», disse Horácio Roque.

A Rentipar (holding pessoal de Horácio Roque), está disponível para acompanhar o aumento de capital, informou o responsável no mesmo encontro.

Quanto a liquidez, o presidente diz que o banco está «confortável», depois de os depósitos de clientes terem aumentado quase 20% no ano passado.

Para além disso, «o Banif dispõe de activos elegíveis que permitem ir buscar 500 milhões de euros ao Banco Central Europeu (BCE), e tem ainda disponível uma garantia estatal para mais 650 milhões de euros», para compromissos «não muu.ito elevados, de cerca de 400 milhões de euros a vencer no decorrer de 2009», disse.

«Mesmo sem o aumento de capital, temos dinheiro suficiente para continuar a actividade normal do banco», garantiu.

Horácio Roque ainda não decidiu se vai ou não usar a garantia estatal, afirmando que isso «depende do comportamento do mercado e do que conseguirmos reduzir a taxa de juro usando isso. Se não houver um benefício, não a usaremos», concluiu.

Os lucros do Banif recuaram 41% para 59 milhões de euros.