Os 86 painéis que vão afixar os preços da gasolina e do gasóleo dos postos de abastecimento seguintes nas auto-estradas estarão todos instalados até ao final de Abril.

É esta a nova data que a Associação Portuguesa de Empresas Petrolíferas (Apetro) definiu, depois de duas revisões, resultantes da complexidade do processo e alguma polémica. Quanto ao orçamento previsto para o projecto, mantém-se: cerca de 1,5 milhões de euros, que serão pagos pelas petrolíferas.

Na A8 está já instalado o primeiro painel, ao quilómetro 53, sentido Norte-Sul, e os trabalhos prosseguem já na A1, A2, A22, A23 e A25.

Petrolíferas rejeitam culpa nos atrasos da instalação

Cada uma das empresas controlará a afixação dos seus preços, com os painéis a surgirem a 2 quilómetros de distância de cada estação de serviço.

«Este processo não poderia ser desenvolvido autonomamente por cada uma das companhias envolvidas», disse esta terça-feira o secretário-geral da Apetro, José Horta, em conferência de imprensa que decorreu em Lisboa.

Foi no âmbito da Apetro que os seus associados Galp, BP, Repsol, Cepsa/Total e Esso definiram um modelo de encargos e projecto-tipo comum, tendo em conta condicionantes como a tecnologia de visualização de preços, fonte de energia a utilizar e o sistema de comunicações e informações.

Em Setembro de 2008, a obra foi adjudicada ao consórcio Tracevia e LCGaspar.

Além dos 86 painéis previstos, quaisquer novas concessões terão de respeitar a regra e inclui-los, numa medida que resulta de uma recomendação da Autoridade da Concorrência.